Risotto à TUGA!

 

Quando falamos de risotto, pensamos num arroz especial vindo de Itália, cremoso e amanteigado com parmesão. A verdade é que é possível fazer risotto com outras variedades de arroz, desde que estas libertem goma suficiente para deixar o arroz cremoso. No panorama nacional o arroz mais indicado para isso é nosso carolino, de grão largo e com bastante goma.

Em Itália uma refeição é constituida por entradas/antipasti; primeiro prato/primo piatto; segundo prato/secondo piatto e inevitável sobremesa. O risotto é geralmente servido como um primeiro prato, o ponto de cozedura do arroz é diferente do nosso, que é habitualmente cozido completamente, o risotto é inicialmente “aberto”, o que para o típico português não habituado a essas texturas, não é mais que arroz encruado😛

As primeiras referências a risotto, que em italiano significa “pequeno arroz”, datam do séc. XI quando este foi introduzido no sul de Itália pelos Mouros. A primeira receita original surge em 1574, no seio de uma pequena comunidade belga que fornecia os vidros para a construção da Catedral de Milão.

Hoje como tinha visitas ao almoço, e poucas coisas no frigorífico (é sempre o mesmo drama…), decidi-me por uma solução mais “aportuguesada” e assim surgiu o Risotto à Tuga.

Para tal precisamos dos seguintes ingredientes:

– Arroz carolino (Produto nacional! Vamos apoiar a nossa gente!);

– Cebola;

– Alho;

– Azeite;

– Vinho branco;

– 150 g de Cogumelos Portobello;

– 10 g de Cogumelos Cantarelos desidratados (à venda nas grandes superfícies);

– 10g de Tomate seco;

– Caldo vegetal q.b;

– Sal;

– Queijo da Ilha ralado;

-Marmelos em calda;

Começamos por picar uma cebola média muito fina e um dente de alho, posteriormente colocamos num tacho largo (é importante que o arroz tenha espaço para cozinhar por igual) com um fio de azeite, reservamos. De seguida cortem os cogumelos portobello aos quartos e re-hidratem em água quente os cantarelos, não deitem fora a água dos cogumelos guardem para o arroz. Depois de re-hidratados os cantarelos juntem-nos aos portobello e reservem, comecem a refogar a cebola e o alho (não deixem alourar), juntem 2 chávenas de arroz carolino e fritem tudo ligeiramente. De seguida juntem aproximadamente 100 ml de vinho branco e mexam o arroz ( é importante ir mexendo o arroz para soltar a goma e impedir que este agarre ao tacho!), quando o vinho começar a evaporar adicionem progressivamente a água morna dos cogumelos com um pouco de sal( uma concha de cada vez), deixem evaporar um pouco e voltem a adicionar. O risotto precisa de ser tratado com carinho e com muita atenção, caso contrário vai sair mal! Por isso mesmo cozinhem em lume brando.

Adicionem o tomate seco cortado em juliana fina, e repitam o processo de adicionar caldo cada vez que o arroz comece a secar, quando este deixar de absorver caldo verifiquem o seu ponto de cozedura, mordendo uns grãos de arroz ( eu deixo cozinhar ligeiramente al dente…mais ao gosto português :P). Quando a cozedura estiver quase no ponto, adicionem os cogumelos e envolvam tudo muito bem. Se necessário adicionem mais caldo, e deixem cozinhar ligeiramente, retirem do lume e juntem duas mãos de queijo da ilha ralado, envolvam bem com a colher até este derreter e o arroz ficar cremoso. Sirvam com marmelo em calda fatiado por cima e acompanhem com um branco cheio de carácter! Um Quinta do Falcão Arinto-Sauvignon 2009 é a companhia perfeita!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Divirtam-se e bons cozinhados!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s