Tarte de Frutos Vermelhos – a despedida oficial ao bom tempo


Pastelaria. Eis a categoria que, para mim, se destaca na cozinha. Não é que apenas goste de confeccionar doces, mas é a área que me dá mais gozo. (Re)criar aqueles bolos lindos, as sobremesas irresistíveis e tudo aquilo que apela à nossa gulodice. 
Se sou gulosa? Claro! Mas o que mais me motiva, na verdade, é ver o prazer de quem come e se delicia com aquilo que eu fiz com um gosto tremendo, aliciando-me a fazer cada vez melhor e a superar-me numa próxima. 

O domingo é, por excelência, o dia da família. Não é que os outros dias não o sejam, mas no último dia do fim-de-semana é mais do que sabido que, grande parte das pessoas, vai almoçar a casa dos pais ou dos avós. Cá em casa não é excepção e se existe um ponto essencial na ementa é a sobremesa.
Na verdade, o menu de domingo é super pesado. Ou se come o belo do Cozido à Portuguesa, ou aqueles assados de carne no forno com batatinhas e molho, os guisados cheios de sabor…resumindo: sai-se da mesa pronto a rebolar. E como se não chegasse o prato principal ser algo bem robusto, eis que se dá a ‘facadinha final’ com um doce. Confesso que nem sempre tenho vagar e apetite para preparar algo, mas ultimamente tenho sentido um apelo forte para preparar a sobremesa. E este domingo assim foi.

Apesar de estarmos no Outono, apetecia-me confeccionar algo de cor viva, em forma de despedida oficial do bom tempo. E nada melhor que os frutos vermelhos. E o que vos parece uma combinação de framboesas, mirtilos e amoras sobre uma tarte recheada de creme francês? A mim pareceu-me muito bem, tão bem que coloquei logo as mãos à obra😉

Ingredientes

Para a base:
125 gr de manteiga sem sal
100 gr de açúcar
1 ovo
250 gr de farinha
1 colher (de chá) de sal

Para o creme:
500 ml de leite
1 vagem de baunilha
3 gemas
125 gr de açúcar
60 gr de maizena
essência de baunilha

Para a cobertura:
120 gr de frutos vermelhos (mirtilos, framboesas, amoras, …)
glaze (ou geleia de pêssego) q.b.

O que eu considero mais divertido nas receitas é ter de confeccionar tudo, desde a base ao topo, e esta receita enche-me as medidas. O ideal é começarmos pela base, e para tal colocamos o açúcar, o ovo e a manteiga derretida num recipiente e mexemos até ficar bem macio e cremoso. De seguida, peneirem a farinha juntamente com o sal e envolvam até ficar homogéneo e suave. Depois de seguirem este processo, eis que é dada a hora de meterem a mão na massa, literalmente, e amassa-la com as mãozinhas sobre uma bancada, para que tudo fique bem misturado. Voltem a colocá-la no recipiente, tapem-na e deixem repousar durante uns 20-30 minutos.

Enquanto a base da nossa tarte deliciosa está em repouso, podemos dar início à preparação do creme. Para tal, colocamos o leite num púcaro. Abrimos a vagem de baunilha e, com a ponta da faca, raspamos as sementes. Adicionamos as mesmas ao leite, assim como a vagem e levamos ao lume (de preferência, brando). Enquanto este preparado aquece, misturamos as gemas com o açúcar, até que fique bem cremoso. Adicionamos a farinha maizena e mexemos novamente. Quando obtivermos um preparado homogéneo acrescentamos a essência de baunilha e misturamos bem. Depois de o leite ferver, adicionamos metade a este preparado, tendo sempre o cuidado de o coar, uma vez que este ferveu. Misturamos bem e adicionamos o restante. Levamos ao lume novamente, e deixamos engrossar. Bem, aqui é um ponto delicado. O ideal é que não fique demasiadamente líquido nem grosso. E o meio termo, por vezes, é complicado. Temos de ter sempre em conta que depois de arrefecer, o creme ficará mais espesso que o ponto em que o retiramos do lume.

Feito o creme, é importante tapar o recipiente com película aderente, de forma a que este arrefeça sem ganhar aquela capa mais dura por cima, que dá origem aos grumos.

E eis que é chegada a hora de colocar a mão na massa, outra vez. Com um rolo, estendemos a mesma numa superfície polvilhada com farinha. Esticamos bem até obter uma espessura de 2 milímetros (+/-) e forramos a tarteira. Levamos ao forno, pré-aquecido a 180º, e deixamos cozinhar cerca de 30-40 minutos, até que obtenha uma cor dourada e uniforme.

Pegamos nos frutos vermelhos. Lavamos, escorremos e dispomos sobre papel de cozinha, de forma a absorver toda a água.

Assim que a base da nossa tarte estiver pronta, retiramos do forno e deixamos arrefecer ligeiramente. Colocamos o creme no interior e dispomos os frutos por cima. Findas estas tarefas, espalha-se o glaze, ou a geleia de pêssego, por cima dos frutos, dando-lhes um aspecto brilhante. Montada a tarte, coloca-se no frio, onde deverá permanecer pelo menos uma hora antes de servir.

Este slideshow necessita de JavaScript.

E depois, é só comer.
Espero que se divirtam bastante e que se deliciem ainda mais:)

One thought on “Tarte de Frutos Vermelhos – a despedida oficial ao bom tempo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s