O Xerém da Catarina

Muitas vezes falo da minha mãe e da influência que tem tido na minha evolução culinária ao longo da minha vida. Apesar de muitas vezes falar do contributo dela, acho que é mais que devido que lhe dedique um post completo com uma receita dela e confeccionada por ela. Por essas razões e por ela ser para mim a melhor cozinheira que alguma vez conheci, fiquei por trás da lente e limitei-me a documentar ( ok… meti um bocadinho a mão … não consigo resistir😛 Mas o crédito é totalmente dela… só fui um mero ajudante  :) ),o resultado é um prato rústico com um twist cá de casa🙂

O que é o xerém? Xerém vem do árabe e significa: papas de milho, este prato feito à base sêmola de milho foi durante séculos a base da alimentação dos povos do Algarve, especialmente da região de Olhão. Confeccionado com amêijoas e conquilhas ou carne de porco. Tem um parente em Trás-os-Montes os populares milhos que funcionam mais como acompanhamento do que prato principal. Este prato foi exportado para as antigas colónias, com especial incidência no Brasil e Cabo Verde. É  como dizem os anglo saxónicos comfort food, e neste frio Outono é um óptimo prato para o almoço de Domingo.

Vamos começar pela lista de ingredientes:

– 1kg de camarão;

– 1 cebola média;

– 50g de tomate seco;

– 4 dentes de alho;

– 1 folha de louro;

– 1 colher de chá de pasta de caril vermelho;

– 1 colher de café de achar masala;

– 1 ramo  de coentros;

– 2 chávenas de sêmola de milho;

– Sal;

– Pimenta;

– Sumo de Limão;

– Azeite;

– Água;

Começamos pelos camarões, separamos as cabeças dos corpos e reservamos, as cabeças são picadas na 1,2,3 e põe-se a papa a cozer de modo a fazer um caldo.

Deixamos ferver, retiramos do lume, coamos e reservamos. Depois fazemos um refogado com azeite, a cebola picada, dois dentes de alho bem pisados no almofariz, o tomate picado e uma folha de louro. Refoga e de seguida junta-se cerca de 500 ml de água, o caldo das cabeças do camarão, 1 colher de chá de caril vermelho e 1 colher de café de achar masala, deixa-se ao lume até levantar fervura. Enquanto isso pegamos nos camarões já descascados, e salteamos numa frigideira com 2 dentes de alho, azeite, sal e pimenta, assim que estiverem quase cozinhados juntamos um pouco de sumo de limão. Reservamos e viramos as nossas atenções para o tacho, juntamos as duas chávenas de sêmola assim que estiver tudo a ferver e vamos mexendo para não criar grumos. Assim que começar a espessar baixamos o lume para não agarrar e juntamos os camarões e os coentros picados. Servimos quente e deleita-mo-nos com a sensação reconfortante da comida substancial e quente nestes dias frios e cinzentos.

P.S. – A pasta de caril vermelho e o achar masala compram-se nas lojas de produtos asiáticos no Martim Moniz.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Divirtam-se e bons cozinhados!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s