Rescaldo de mais um Jantar de Aniversário (Evento Privado)

“Há imagens que valem mais que mil palavras!” Cliché? Sim, é…mas não deixa de ser verdade também. Vejam o rescaldo de mais um evento do ‘As Time Goes Bye…’ e tirem as vossas conclusões 🙂 Tudo o que dissermos poderá … Continuar a ler

The Return of the Mad Scientist

Este slideshow necessita de JavaScript.

Tenho andado numa crise de escrita, tem-me faltado o estímulo para escrever e este calor infernal ainda piora este “bloqueio de escritor”. Prometo-vos que agora vou ter mais tempo para postar sugestões e devaneios de louco 😛
Ultimamente dou por mim a pensar em algo que creio assaltar o pensamento de todos, a mim devo dizer que me assalta frequentemente… gostava muito de saber o que quero para mim. Vocês não? Há pessoas que sabem logo o que querem, têm um plano definido… eu já quis fazer tantas coisas, e quero fazer outras tantas mais, sinto-me como um buraco negro, que por mais matéria que abarque…não pára de crescer. Às vezes apetece-me por a mochila às costas, desaparecer para uma ilha no Pacífico, e passar os meus dias a mergulhar e a viver da pesca, coisas simples…sem exigências.
Era tão mais simples …. viver… tão e somente. Aquela ilha soa-me tão bem … como me soa bem o deserto da Patagónia… ou mesmo aqui ao lado as serras do Gerês… desde que seja longe disto.
Não me liguem estou num dia revoltado, vamos antes cozinhar e espantar o fantasma das incertezas e das obrigações desagradáveis.
Estamos em pleno Verão, com um calor abrasador e a última coisa em que queremos pensar é em comida quente e pesada, por isso pensei em sugerir-vos algo leve e fresco que vos revitalize o espírito 🙂
Acho que uma Salada de Laranja com Funcho e Couscous é capaz de ser o que precisamos para dar frescura à nossa vida , por isso vamos reunir os seguintes ingredientes:- 2 a 3 laranjas;
– 1 raíz de funcho;
– Azeitonas pretas descaroçadas;
– Rúcola;
– Couscous (aprox. 150 g);

– Parmesão em cunha ( vendem-se nos hipermercados umas cunhas mais pequenas de parmesão para ralar ao momento);

– Azeite;
– Vinagre balsâmico;
– Sal;
– Malagueta moída;
Começamos por descascar as laranjas, cortar aos gomos, eliminado as partes brancas e os caroços. Passem os gomos para uma saladeira, de seguida cortem a raíz do funcho às lascas finas ( se tiverem uma mandolina é muito melhor podem ver na imagem ao lado, de que se trata). Envolvam os gomos de laranja com as lascas de funcho para que sumo se solte, e deixem de lado. Enquanto as lascas de funcho ficam a marinar no sumo de laranja, pomos um tacho com água a ferver, assim que a água atingir o ponto de ebulição, desligamos o lume e adicionamos os couscous com um fio de azeite, mexam com uma colher e deixem na água por 5 minutos. De seguida escorram os couscous num passador de rede, e passem por água fria ( isto vai arrefecer e soltar os granulos). Juntem os couscous com o funcho e a laranja, adicionem a rúcola e cortem as azeitonas. Envolvam tudo muito bem e temperem com o sal, azeite, balsâmico e malagueta moída, sirvam com umas lascas de parmesãoe acompanhem com um Quinta do Falcão Superior Branco – 2008, a combinação perfeita para uma tarde de calor!

Fiquem bem e bons cozinhados!

Manual de sobrevivência volume II – A revolta do frigorífico

O meu frigorífico não gosta de mim, cada vez que abro a porta tenho menos coisas lá dentro…porque é que os frigoríficos não têm auto-renovação do stock de mantimentos? Nota mental – Vai às compras anormal!
Devia começar a pensar em fazer o jantar, mas não tenho muito por onde começar. Vejamos…..
umas laranjas; 1 alho francês;azeitonas;1 farinheira… hum … deixa ver se há alguma coisa no congelador…hum…perfeito! Já tenho a solução com 1 saco de carne picada que tinha no congelador, perguntarão vocês o que é que estes elementos têm a ver uns com outros? Passo a explicar:
Vamos pegar em :

– 4 laranjas;

– Umas quantas azeitonas pretas;

– 1 alho francês pequeno;

– Salsa;

– Azeite;

– Sal;

– Pimenta preta;

-Vinagre balsâmico;

Descascamos as laranjas, cortamo-las em rodelas e depois em metades. Colocamos numa saladeira onde vamos juntar: as azeitonas cortadas aos bocados; o alho francês finamente cortado em rodelas; salsa picada; sal a gosto; um pouco de pimenta acabada de moer; azeite e vinagre. Agora usem as mãozinhas e misturem isso tudo…e o que temos é uma salada de laranja, que é uma das grandes especialidades na Sícilia para comer como entrada ou acompanhamento de um prato com alguma gordura.
Já temos uma salada… mas assim não me governo… preciso de mais substância, por isso vamos pegar nos outros “artefactos” que encontrámos no frigorífico:

– 1 kg de carne picada ( quando forem ao talho comprem uma peça de carne de vaca e outra de porco, e então peçam para picar… a carne picada já embalada, não sabemos bem com que foi feita pode levar todo o tipo de aparas “manhosas” por isso mandem picar na hora);

– 1 farinheira;

– 1 base de sopa de cebola ( podem usar aquelas da knorr ou da maggi… não se assustem já vãoperceber para que é a base da sopa );

-1 cerveja preta;

Este prato comi pela primeira vez em casa de um amigo das minhas andanças pelas Tunas, de vez em quando juntamos um grupo de amigos dessa altura e fazemos um fim de semana em tertúlia, com boa comida; bons vinhos e boa música, intitulamo-nos o Grupo do Jantares de Sexta-Feira 😛
Mas voltando ao prato, vou chamar-lhe Rolo de Carne Mygas em homenagem ao meu amigo que me ensinou a fazer um rolo de carne rápido e sem sujar as mãos!
Vamos pegar na carne picada e colocar num saco de plástico transparente, lá dentro deitamos a base da sopa de cebola, que vai dar o condimento e sal necessário à carne. Fechamos o saco e amassamos tudo muito bem por cima do plástico, de maneira a que a base da sopa fique completamente misturada com a carne picada. De seguida abrimos o saco, e com algum cuidado vamos usar um rolo da massa de forma a que a carne tome uma aparência quadrangular… isto tudo sem retirá-la do saco… é muito importante conservá-lo e já entenderão a razão.
Pegamos numa tesoura e cortamos o saco pela boca de cada um dos lados, de forma a obtermos uma “aba”, abrimos essa “aba” e no centro da carne picada colocamos a farinheira esfarelada.  E agora vamos enrolar … usando a parte exterior do saco enrolamos a carne picada com alguma prudência para que não se desfaça. E depois é só colocar dentro de um tabuleiro ou pirex e deitar-lhe uma cerveja preta por cima ( desculpa Mygas mas cerveja preta combina melhor 😛 ). Levamos ao forno 45 minutos e obtemos um rolo de carne simples e sem sujar as mãos 🙂
Acompanhem com arroz… ou com a salada de laranja, que contrasta bem com a gordura.
Para completar  sugiro-vos  um Adega de Pegões – Touriga Nacional, um exemplo do talento do enólogo Jaime Quendera, e uma excelente companhia para este jantar desenhado para  4 pessoas, poderão encontrar este vinho facilmente em grandes superfícies a um preço acessível … entre os 5 e os 6 euros.
Hoje despeço-me com o Michael Bublé  e este Come Fly With Me, para ver se espantamos este tempo de cão!

Divirtam-se e bons cozinhados!

Manual de sobrevivência volume I :P

Por inúmeras ocasiões tenho amigos que me falam do drama diário de não saberem o que fazer para as refeições, isso, pelos mais diversos motivos:  “Tenho pouca coisa no frigorífico…”; ” Tou de rastos… tive um dia de cão!” ou mais comum: “Não tenho pachorra!”. Eu entendo todas estas posições … é de facto difícil, para não dizer desumano em alguns casos cozinhar por obrigação. Mas não tem de ser doloroso, há formas de contornar o bloqueio da obrigação de cozinhar, para isso iniciamos o ciclo de posts “Manual de Sobrevivência”, que em traços gerais poderá ajudar-vos a não ver a cozinha como uma câmara de tortura da Idade Média.

Podemos começar por alguns elementos que devemos ter em casa  para desenrascar:

–  Ovos;
– Salmão ou truta fumada ( vem embalado em vácuo e dá para manter no frio durante muito tempo);
– Mistura de salada ( rúcola, alface-frisada, acelgas, canónigos – encontra-se em qualquer grande superfície e aguenta-se alguns dias no frio);
– Cebola frita ( Vende-se no IKEA em embalagens e é óptima para fazer guarnições, sandes e omeletes);
– Aneto;
– Pimenta-preta;
– Sal;
– Vinagre balsâmico;
– Azeite

E que fazemos com esta tralha toda? Pegamos na mistura de salada e colocamos numa tigela funda, depois temperamos com um fio de azeite e um pouco de vinagre balsâmico. Depois cortamos o salmão ou a truta* em pequenos bocados, espalhamos por cima e deixamos de parte. De seguida batemos 4 ovos e adicionamos a cebola frita, o aneto, um pouco de pimenta e sal. Pegamos numa frigideira, pomos um fio de azeite e deixamos aquecer, colocamos os ovos na frigideira e deixamos cozinhar – não sei qual é o vosso gosto… mas eu odeio comer ovos mexidos demasiado secos, isso acontece por estarem muito tempo ao lume e ficam com uma consistência tipo esferovite, para evitarmos isso usamos uma espátula ou um salazar em melamina e vamos mexendo os ovos, como se estivéssemos a levantar um crepe, isso dá aos ovos um aspecto meio “ondulado” na frigideira e acabam por cozinhar todos por igual – quando o líquido tiver desaparecido quase todo desligamos o lume, assegurando que estes ainda ficaram com alguma humidade.

Assim ficamos com uma salada de salmão e uns ovos mexidos deliciosos, servimos imediatamente e acompanhamos com uma cerveja preta que fica um verdadeiro luxo com esta comida de “sobrevivência”.
Não se assustem, eu sei que escrevo muito mas isto não demora mais de 10 minutos a fazer 🙂
Acompanhem ao som de Florence and The Machine …

* Pessoalmente gosto mais de utilizar salmão ou truta curada em casa, fica mais saboroso e sai muito mais barato…nos próximos dias mostro-vos como se faz.